Parceria entre HAP e Governo reduz fila de cirurgias em pacientes do SUS


Pensando em proporcionar a mesma qualidade do setor privado a pacientes da saúde pública do Mato Grosso do Sul, o Hospital Adventista do Pênfigo (HAP) começa mais uma etapa de atendimento à Caravana da Saúde.

Pierre Damasio (esqueda), diretor administrativo do HAP, em conversa com o secretário de saúde do Estado, dr. Nelson Tavares (direita), durante visita ao hospital.

Pierre Damasio (esqueda), diretor administrativo do HAP, em conversa com o secretário de saúde do Estado, dr. Nelson Tavares (direita), durante visita ao hospital.

Em parceria com o governo do Estado, o hospital realizará cirurgias de alta complexidade em pacientes de ortopedia. “Priorizaremos cirurgias de quadril, joelho e pé. No mutirão de consultas atendemos mais de 70 pacientes, desses, mais de 25 saíram do hospital com suas cirurgias agendadas para os próximos dias e todos os demais terão suas cirurgias marcadas de acordo com os resultados dos exames”, conta Pierre Damasio, diretor administrativo do HAP.

De acordo com o secretário de saúde do Estado, doutor Nelson Tavares, o gasto mensal de cirurgias desse tipo pelo Sistema Único de Saúde (SUS) chegaria a R$ 816 mil por mês. Hoje, esse custo foi reduzido graças às parcerias que estão sendo feitas. “Se fosse dentro do modelo do SUS, por exemplo, custaria até dez vezes mais”, explica Nelson.

E entre os parceiros do Estado na busca pela qualidade no atendimento à população sul-mato-grossense está o Hospital Adventista do Pênfigo. “Com essa parceria temos a meta de realizar 112 cirurgias de ortopedia ao mês”, ressalta Tavares.

Pierre Damasio (diretor administrativo - HAP), Dr. Nelson Tavares (SES) e Dr. William Joubert (diretor médico - HAP).

Pierre Damasio (diretor administrativo – HAP), Dr. Nelson Tavares (SES) e Dr. William Joubert (diretor médico – HAP).

Para se ter uma ideia dos benefícios da parceria, de acordo com a Secretaria de Estado de Saúde (SES), em 2014, o único hospital que realizava esse tipo de procedimento em todo o Mato Grosso do Sul era a Santa Casa, atendendo 24 cirurgias de alta complexidade por ano. Através da parceria, a cada mês, mais de 100 pacientes terão suas cirurgias realizadas”, garante.

A intenção do projeto, segundo Tavares, é levar o mesmo atendimento que um paciente do sistema privado tem, ao paciente da saúde pública. “Isso tudo contando com a qualidade e estrutura de um hospital gabaritado para atender essa demanda, como o Pênfigo”, conclui Tavares.

Fonte e fotos: Assessoria HAP